Família

Vaga de Frio. Lisboa acolhe sem-abrigo e os seus animais. E cria botão de socorro

Além da ajuda a pessoas sem casa e aos seus pets, a Provedoria criou o botão de socorro animal, à disposição de forma permanente.
Há centros de acolhimento.

Estamos em pleno inverno e as temperaturas têm estado a descer. Uma nova massa de ar polar está a atingir o país e o frio vai apertar ainda mais, esperando-se valores negativos nalgumas regiões pelo menos até sábado, 13 de janeiro. A pensar em quem dorme na rua, a Câmara Municipal de Lisboa ativou o Plano de Contingência para as Pessoas em Situação de Sem Abrigo (PSSA), abarcando os animais que muitas vezes acompanham esta população fragilizada e que são a sua única companhia.

O Pavilhão Municipal Casal Vistoso, na zona do Areeiro, está já a funcionar como centro de acolhimento – garantindo refeições e bebidas quentes, roupa, banho, artigos de higiene pessoal e serviços de saúde. Ao mesmo tempo, há equipas técnicas de rua, estações de metro abertas durante a noite e parceiros que distribuem alimentos e roupa. “Um plano que também prevê a inclusão dos animais de companhia das PSSA”, sublinha a Provedoria dos Animais de Lisboa.

“Este plano de contingência da vaga de frio será reavaliado em permanência pelos serviços da Câmara Municipal de Lisboa com competência nesta área”, diz à PiT o Provedor Municipal dos Animais de Lisboa, Pedro Emanuel Paiva.

Botão de socorro em Lisboa

E há mais uma novidade. A Provedoria anunciou também a criação de um botão de socorro animal, que vai funcionar de forma permanente e que pretende ajudar animais em risco. “De forma a responder a eventuais pedidos de socorro e auxílio a animais em Lisboa, em situações onde o mesmo se encontra em perigo de vida iminente ou no enquadramento de abandono na via pública, a Provedoria Municipal dos Animais criou um ‘Botão de Socorro Animal’, que pode ser acionado em qualquer telemóvel ou computador com acesso à Internet, através da homepage do site da Provedoria”, refere.

“O botão de socorro animal será um mecanismo que se vai manter sempre disponível”, diz Pedro Paiva à PiT. Uma vez acionado o botão, o utilizador faz o registo da ocorrência num formulário simples, que será submetido posteriormente à triagem para a ativação dos meios de socorro indicados. “Esta solução já foi testada no contexto das cheias do ano passado em Lisboa e revelou-se como um sucesso no socorro célere a vários pedidos”.

“Nestes momentos de especial vulnerabilidade na nossa cidade, não nos podemos esquecer de assegurar também a integridade e a segurança de todos os animais que se encontram expostos às intempéries e que são naturalmente da  responsabilidade do município”, sublinha Pedro Paiva.

Percorra a galeria para ver algumas fotos do pavilhão em Lisboa onde os sem-abrigo e seus animais estão a ser acolhidos durante esta vaga de frio.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT