Família

Vamos lá cambada. Neste Portugal – Suíça de quatro patas, quem vai ganhar?

Diogo Costa conta com os seus três cães na baliza. Mas o jogador do Benfica Haris Seferovic leva o seu para ajudar no ataque.
O guarda-redes Diogo Costa tem 12 patas do seu lado.

Ultrapassada a fase de grupos do Campeonato do Mundo de futebol de 2022 no Qatar, as equipas de cada seleção estão mais do que definidas. Portugal defronta esta terça-feira, às 19 horas, a Suíça nos oitavos de final da competição, com transmissão em direto a partir da RTP1. Os prognósticos, apesar de anteverem um jogo renhido, apontam para o favoritismo da equipa portuguesa. Mas, se o jogo fosse disputado pelos patudos dos jogadores, as probabilidades manter-se-iam a nosso favor?

Entre os convocados da seleção helvética figura Haris Seferovic, jogador de 30 anos especialmente conhecido por atuar no Sport Lisboa e Benfica desde 2017 (atualmente emprestado aos turcos do Galatasaray). Considerado um avançado com faro de golo, mesmo não tendo sido a primeira opção neste Mundial, não deixa de ser uma ameaça séria à baliza defendida pelo guardião português Diogo Costa, que, curiosamente, nasceu na Suíça.

O guarda-redes, de apenas 23 anos, conquistou lugar entre os postes na seleção nacional graças às exibições irrepreensíveis durante a presente época, precisamente a favor do Futebol Clube do Porto, eterno rival do clube da capital ao qual pertence Seferovic.

São, por isso, adversários em todas as frentes: nos clubes, nas seleções e, até, nas posições — a função de cada um em campo é, mais direta do que em quaisquer outros jogadores, vencer o outro no confronto. Ou um faz golo, ou outro o impede. Diogo Costa mantém-se insubstituível na baliza portuguesa, mas, se Seferovic porventura for a jogo como arma de recurso, a situação verificar-se-á tal qual a prevemos por aqui. Na hora desse confronto decisivo toda a ajuda é preciosa. E quantas mais pernas (e patas, já agora…), melhor.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Diogo Costa (@diogomcosta99)

Uma convocatória alternativa

Se os cães pudessem entrar em campo com os donos, talvez a vitória portuguesa estivesse assegurada à partida. Até porque, neste confronto direto, partimos desde logo em vantagem: três contra um. E mesmo se o frente-a-frente se cingir a uma raça, continua a haver superioridade numérica.

A pequena equipa de Diogo Costa mostra clara aptidão para a bola. E, à semelhança do dono, teima em não deixá-la passar custe o que custar. Quer os dois Bulldogs franceses — Pandora e Jack—, quer a Bull Terrier — Sasha. Por sua vez, para ajudar no ataque, Seferovic só poderia contar com Rocky, o seu Bulldog francês que, a julgar pelas publicações da mulher do jogador suíço com o canídeo à mistura, não tem especial queda para o futebol — ou para o desporto, sequer. Talvez seja mais valioso no apoio moral… Porque, de resto, seriam favas contadas.

Carregue na galeria e conheça os jogadores de quatro patas convocados pela PiT para representarem as suas seleções.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->