Saúde

A dor nos cães e gatos. Esteja atento a estes seis sinais importantes

A dor crónica ou a dor aguda não se manifesta apenas nos homens. Nos nossos animais, também. E há muito para saber.
Ele conta consigo.

Tal como qualquer pessoa, também os animais sentem dor. E esta pode manifestar-se de muitas formas, como é o caso, por exemplo, da dor pós-cirurgia e da dor relacionada com artrite ou tumores. Mas será que sabe identificar todos os sinais?

A dor aguda é evidente, mas a dor crónica pode ser mais subtil e confundida com o envelhecimento do animal. Mas a idade avançada não é uma doença – e a dor é.

A Academia Veterinária Internacional de Tratamento da Dor (IVAPM) proclamou setembro como o mês da consciencialização da dor animal e, nesse âmbito, tenta educar e informar os tutores sobre a saúde e bem estar dos seus pets no que diz respeito à gestão da dor.

Assim, há que conhecer seis sinais que podem evidenciar dor no seu cão ou gato:

– Tem menor atividade (não brinca tanto como de costume)

– Não sobe nem desce escadas (o que pode ser um sinal precoce de osteoartrite)

– Mostra relutância em saltar para superfícies mais altas (aplica-se especialmente a gatos)

– Tem dificuldade em levantar-se depois de se deitar (é um sinal de osteoartrite)

– Lambe excessivamente determinada zona (pode ser um sinal de dor referida – em que a dor sentida numa área do corpo nem sempre representa exatamente o local do problema)

– Tem menos apetite (o que pode evidenciar dor na boca)

Sobre este mesmo tema, a organização animal britânica Oldies Club fez também uma lista sobre os sinais “escondidos” de dor, mas no que diz especial respeito ao clube dos patudos seniores – os chamados cães geriátricos.

E quais são esses sinais que podem passar despercebidos e a que deve estar atento? São oito e alguns cruzam-se com os “sintomas” observados num cão de qualquer idade. Tenha particular atenção se a resposta a alguma destas perguntas for afirmativa:

– O apetite do seu cão teve alterações?

– Tem dificuldades em manter o equilíbrio?

– De repente deixou de se interessar pelo que o rodeia/outros cães/pessoas?

– Mudou os padrões de sono? (está a dormir mais ou menos tempo)

– Parece-lhe apático?

– Mostra-se inquieto? Anda às voltas?

– Tem dificuldades em saltar para o sofá ou em subir escadas? (quando antes isso não era um problema)

– A sua expressão facial mudou?

Qualquer um destes sinais, se for persistente, é motivo para contactar o médico veterinário do seu pet. Esteja atento, pois a deteção precoce de qualquer problema é meio caminho andado para o combater de forma mais eficaz.

Percorra a galeria para perceber os indícios de que o seu pet pode não estar bem.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->