Saúde

Animais são grandes aliados da saúde mental. Diga adeus à depressão e ansiedade

Há pelo menos quatro grandes maneiras de os animais de companhia melhorarem a nossa saúde mental. É a ciência que o diz.
O poder dos pets.

Num mundo cada vez mais acelerado, com novas tecnologias e novas formas de trabalhar, especialmente depois da pandemia de Covid-19, a saúde mental tem estado cada vez mais em foco. Segundo as estimativas da plataforma Our World in Data, uma em cada dez pessoas em todo o mundo sofre de algum tipo de patologia do foro da saúde mental, como depressão, ansiedade, bipolaridade, distúrbios alimentares – anorexia ou bulimia – ou esquizofrenia.

Na tentativa de protegermos o nosso bem-estar mental, tentamos encontrar formas de lidar com os fatores de stress com que somos confrontados diariamente, mas nem todos temos a mesma facilidade de espairecer. E é aí que os animais de companhia podem fazer uma grande diferença.

Além de bons companheiros e de muitas outras qualidades, os pets também podem ajudar-nos a melhorar a nossa saúde mental. Têm sido realizados estudos sobre esta temática, em muitas vertentes, e os resultados são conclusivos: os animais de estimação são bons aliados da nossa mente, o que ajuda também a evitarmos muitos problemas físicos.

Carla J. Eatherington, investigadora do Waltham Petcare Science Institute, reuniu alguns estudos importantes neste sentido – e que dividiu em quatro grupos –, que nos mostram de que forma os pets podem melhorar a nossa saúde mental.

Animais de companhia podem ajudar na depressão

Vários estudos têm demonstrado que ter um animal, com as interações que daí decorrem, ajuda a reduzir os níveis de depressão. Passar tempo com um pet aumenta os nossos níveis de oxitocina, dopamina e serotonina, coletivamente conhecidas como “hormonas da felicidade” porque promovem uma sensação de bem-estar e de contentamento.

Uma investigação levada a cabo pela Universidade de Pádua constatou que as pessoas de mais idade que estão em lares tinham menores níveis de depressão e uma melhor qualidade de vida depois de cuidarem de um canário durante três meses. E, de facto, o canto dos pássaros melhora mesmo a nossa saúde mental.

Um outro estudo apontou que, depois de dez semanas em terapia assistida por animais, os doentes com esquizofrenia tinham reportado melhorias na tonalidade hedónica, que está ligada à capacidade de sentir satisfação.

E há mais. Um estudo norte-americano concluiu que os cães melhoraram a saúde mental dos seus tutores durante a pandemia de covid-19, nomeadamente durante os períodos de confinamento. Numa outra pesquisa, investigadores canadianos demonstraram que um cão de terapia também faz toda a diferença no alívio da dor, ansiedade e depressão.

Pets podem ajudar a que nos sintamos menos sós e socialmente isolados

As interações sociais são muito importantes. A pandemia fez mossa na nossa saúde mental e o distanciamento social teve impacto, especialmente nos adultos que já sentiam solidão.

A solidão atinge atualmente três em cada cinco norte-americanos e nove milhões de britânicos, podendo ser tão perigosa como fumar 15 cigarros por dia, o que a torna uma séria ameaça à saúde pública, refere Carla J. Eatherington.

Segundo um recente estudo de mercado nos EUA, conduzido pelo HABRI (Human Animal Bond Research Institute) em colaboração com a Mars Petcare, 80 por cento dos donos de animais de companhia dizem que o seu pet os faz sentirem-se menos sós.

Ajudam a reduzir o stress…

A solidão está também associada a um risco acrescido de stress. O stress é uma resposta do nosso corpo quando nos sentimos sob pressão ou ameaçados. Por isso, todos nós acabamos por sofrer de stress de tempos em tempos – mas isso pode ser problemático caso venha a tornar-se crónico, dado que quando a exposição excessiva a hormonas do stress, como o cortisol, pode ter um impacto negativo na nossa saúde física.

Têm sido publicados estudos que mostram que a interação com animais pode reduzir os níveis de cortisol no nosso organismo – e um dele foi realizado por uma equipa de investigadores de Washington State Universidade, que constataram que os alunos que interagiam com cães tinham menos níveis de cortisol na saliva do que aqueles que apenas observavam essa interação.

Já se demonstrou também que os cães podem ajudar pessoas que sofram de Perturbação de Stress Pós-Traumático (PSPT). Os cães de serviço de pessoas com esta perturbação são treinados para terem determinados comportamentos, como acordar o dono quando está a ter pesadelos noturnos e oferecer estimulação tátil durante ataques de ansiedade.

Num outro estudo, os militares veteranos que passeiam com cães de abrigos mostraram sentir menos stress do que os veteranos que passeavam com pessoas.

… e também a ansiedade

Uma perturbação comum associada ao stress é a ansiedade, que se caracteriza por sentimentos de preocupação ou medo. Mas já há estudos que comprovam que os animais são uma ajuda preciosa – e um deles concluiu que interagir com animais pode reduzir tanto os traços de ansiedade como os estados de ansiedade.

Num outro estudo, realizado com crianças, constatou-se que os seus níveis de ansiedade diminuem depois de interagirem com um cão. Além disso, nas crianças em idade escolar são uma ajuda redobrada pelo efeito calmante que têm.

Há muitos mais estudos que se têm debruçado sobre os possíveis benefícios da interação com um animal. E todos eles concluem que essa interação ajuda ao bem-estar mental.

Percorra a galeria para saber mais sobre como os animais podem ser bons aliados de uma mente mais sã – e sobre os os benefícios dos cães e das terapias assistidas por animais.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->