Saúde

Cães e gatos já podem doar o seu “cocó” à ciência. Prevenir é o melhor remédio

Mars lançou o primeiro biobanco animal do mundo para melhorar diagnóstico e prevenção de doenças.
Não esquecer o saquinho.

Os “presentes” dos cães e gatos não são propriamente a parte mais interessante – nem sequer bem cheirosa – do nosso dia-a-dia com eles. Mas faz parte, claro. E as fezes podem revelar muito sobre o seu estado de saúde, incluindo a qualidade da sua dieta alimentar.

A pensar nisto, a Mars Incorporated – que, além das marcas de alimentos para humanos, detém também várias empresas de pet food, como a César, Pedigree e Iams –, tem um especial interesse na saúde dos seus “clientes”, e acaba de lançar um projeto para estudar o “cocó” de cães e gatos.

A ideia é, ao longo de 10 anos, recolher dados relevantes sobre o mesmo e criar uma sólida base de dados que ajude a identificar problemas de saúde antes de estes se tornarem muito graves.

Para tal, a empresa lançou o Mars Petcare Biobank, que – tal como acontece com os projetos de biobancos humanos – utilizará amostras biológicas do mundo real como unidades de informação.

Ao longo da próxima década, os cientistas envolvidos no projeto pretendem recolher e analisar fezes e sangue de 10 mil cães e 10 mil gatos – que deverão doar amostras uma vez por ano, permitindo assim que os investigadores consigam perceber de que forma vai evoluindo a saúde destes animais à medida que os anos passam.

As famílias com cães e gatos poderão inscrever-se em hospitais veterinários norte-americanos das cadeias Banfield e VCA – ambas detidas pela Mars.

Apesar de, para nós, os Estados Unidos ficarem geograficamente distantes, o certo é que os resultados deste estudo irão beneficiar os animais do mundo inteiro, já que o objetivo da empresa é alcançar progressos ao nível do diagnóstico e prevenção de doenças.

Os pets voluntários farão um check up anual, ao mesmo tempo que lhes será recolhido sangue e fezes para serem guardadas como amostras.

Em troca da sua participação, os check ups anuais serão gratuitos durante os 10 anos do estudo. Os donos receberão um cartão presente, bem como um monitor de atividade dos seus cães e um kit gratuito de teste de ADN para os seus cães e gatos, refere a “Gizmodo”.

Sendo ou não o seu cão participante neste estudo que vai reunir 20 mil animais, uma coisa é certa: quando vai passear na rua e “faz as necessidades”, cabe-lhe a si recolhê-las – para o bem de todos.

E se o civismo não for a bem… pode “ir a mal.” Depois de vários países já se terem lançado nesta inovação, chegou a vez de a Alemanha testar a invenção que conseguirá rastrear os tutores mais descuidados. Na cidade de Weilerswist estão a ser feitos testes de ADN aos cães, de forma a ser possível, posteriormente, localizá-los (e os seus tutores) caso deixem um “presente por levantar” num local público.

Pode ser que a moda pegue por cá também,

Percorra a galeria para saber o que deve e não deve fazer com as fezes do seu cão.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->