Saúde

Como cuidar da saúde mental do seu cão? Mantenha-o entretido, diz o veterinário

Se não o quer triste nem depressivo, tem de o estimular. Um passeio, um treino, um brinquedo inteligente são o melhor psicólogo.
Diversão em família.

Ter um patudo em casa significa diversão e muito companheirismo. Na hora do passeio, são incansáveis a cheirar todos os cantos, flores e outros animais que encontrem pelo caminho – além de serem ótimos desbloqueadores de conversas. Mas, depois de regressarem a casa, como passam o tempo?

Esta é uma questão relevante, já que o seu cão pode facilmente ficar entediado se não tiver estímulos. Daí a importância do enriquecimento ambiental – que consiste em proporcionar atividades próximas da natureza deles: desafios mentais e físicos que entretenham os peludos, o que lhes traz muitos benefícios.

“Cada vez mais o enriquecimento ambiental se torna um ponto fundamental na vida dos nossos animais. Para isso são essenciais os estímulos físicos e mentais”, sublinha à PiT o médico veterinário João Reis, do Hospital Alma Veterinária, especialista em comportamento animal.

Começando pelas saídas até ao exterior, “os cães, independentemente de habitarem em apartamento ou moradia, devem realizar 90 minutos de passeio e manter contacto social com outros cães e pessoas com que se deem bem”, aconselha João Reis.

Além da parte física, devemos trabalhar também a parte mental. Tudo para tornar o dia a dia do nosso cão menos aborrecido. A bem da sua saúde mental, para que não se sinta triste ou depressivo.

“Para isso, podemos recorrer a treinos curtos diários. E nos momentos de maior aborrecimento, podemos utilizar recursos estimulantes e desafiadores, como comedouros interativos ou dispositivos semelhantes”, aponta o especialista em comportamento animal.

Neste momento, salienta, há já no mercado “imensas marcas a disponibilizar estes recursos, como comedouros labirintos, puzzles ou tapetes olfativos”.

E até que idade se pode dizer que um cão é cachorro? Ou seja, até que fase é que os tutores podem esperar aquelas tropelias inimagináveis quando ficam sozinhos em casa?

A maioria dos cães atinge a maturidade social aos dois a três anos, começando a demonstrar comportamentos mais calmos. No entanto, existem raças que necessitam de maior atenção e despesa de energia até muito mais tarde”, diz João Reis.

E um cão mais entretido é um cão potencialmente menos problemático? Sem dúvida, afirma o médico veterinário à PiT. “Claramente, um cão que preencha estas indicações vai ser um cão menos problemático em casa e na rua”, garante.

Por isso, não se esqueça. Pelo menos um passeio longo, além de treinos curtos diários, e recursos que os estimulem e desafiem. Verá as diferenças no seu cão, que se sentirá preenchido e feliz – o que é muito importante para a sua saúde mental.

Percorra a galeria para ver algumas destas dicas em ação.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->