Saúde

Dia Mundial das Zoonoses assinala combate às doenças que animais nos transmitem

A crescente relação de proximidade entre o Homem e os animais é uma das razões apontadas pela Ordem dos Médicos Veterinários.
Os médicos veterinários ganham cada vez mais importância.

Há precisamente 137 anos, a 6 de julho de 1885, o cientista francês Louis Pasteur administrou pela primeira vez, com sucesso, a vacina antirrábica – por ele desenvolvida – numa pessoa mordida por um cão com raiva. Estava dado o primeiro passo no combate às zoonoses — doenças infeciosas naturalmente transmissíveis dos animais para os seres humanos.

Para assinalar o acontecimento, a Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu a data de 6 de julho como o Dia Mundial das Zoonoses. E são cada vez mais as doenças que passam dos animais para as pessoas, pelo que o seu combate é prioritário.

De acordo com a OMS, existem atualmente mais de 200 tipos de zoonoses e cerca de 60% das doenças infeciosas humanas têm a sua origem em animais. Além disso, 75% das novas doenças que infetaram os seres humanos nas últimas décadas tiveram origem nos animais.

Em Portugal, várias doenças dos humanos têm origem nos animais ou são partilhadas com estes. Além das zoonoses mais clássicas, como a brucelose, a tuberculose e a raiva, a Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) destaca a campylobacteriose, a colibaciolose, a salmonelose, a leptospirose, a febre da carraça e a gripe das aves, entre muitas outras.

Algumas zoonoses mais recentes, como a varíola dos macacos e mesmo a covid-19, “vieram reforçar a ideia da necessidade de se cuidar de Uma Só Saúde”, sublinha a OMV.

E como se chegou a uma taxa tão elevada de zoonoses? “A estreita interação entre as pessoas e os animais, bem como o aumento da atividade comercial, o desenvolvimento da mobilidade, o progressivo envelhecimento da população mundial, as alterações climáticas e a poluição estão entre os fatores potenciadores das doenças que passam constantemente do reino animal para os seres humanos”, explica a Ordem dos Médicos Veterinários no comunicado que assinala esta data.

Neste dia tão importante para relembrar o combate às zoonoses, a OMV veio reforçar a importância do médico veterinário neste campo. “É cada vez mais comum encontrar doenças que migram de uma espécie hospedeira para outra e que se disseminam entre a população humana. O médico veterinário é um dos atores mais importantes na prevenção e no combate a estas doenças, assegurando a saúde da população humana e animal”, sublinha Jorge Cid, bastonário da OMV.

Para Jorge Cid, o trabalho do médico veterinário “é fundamental para o sucesso das ações desenvolvidas no conceito One Health, que integra a saúde humana, animal e ambiental, para melhorar a qualidade de vida de todos”.

“As zoonoses geram impacto não apenas na saúde pública, mas também a nível económico. A procura de soluções para estes problemas, dada a sua complexidade, implica uma abordagem de cooperação entre profissionais de saúde, governo e outras partes interessadas e exige a contribuição, intervenção e colaboração de equipas profissionais dos setores da saúde humana, animal e ambiental”, destaca ainda Jorge Cid.

Percorra a galeria para saber mais sobre algumas destas doenças.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->