Estudo

Cães foram grandes terapeutas durante a pandemia

Os tutores de cães revelaram percentagens muito mais baixas de depressão face a quem não tinha um animal em casa.

Enfrentar o isolamento, o medo e a tristeza da pandemia talvez tenha sido um pouco mais fácil se tiver tido a seu lado um cão. É esta a conclusão de um estudo publicado recentemente na revista científica “PLOS One”, que diz que os cães melhoraram a saúde mental dos seus tutores durante a pandemia de covid-19, nomeadamente durante os períodos de confinamento.

Para chegarem a esta conclusão, os investigadores norte-americanos que realizaram o estudo fizeram um questionário online junto de 1.535 participantes dos Estados Unidos. Metade deles tinha pelo menos um cão, a outra metade estava a ponderar essa possibilidade. Os inquiridos responderam a perguntas sobre os sentimentos de felicidade, ansiedade e depressão, bem como sobre o compromisso e atitude para com os seus cães.

O coordenador do estudo, François Martin, que é líder do departamento de comportamento e bem-estar da Nestlé Purina PetCare — divisão de ração animal da empresa suíça Nestlé — em St. Joseph (Missouri), há muito que estuda os laços entre os animais e os seres humanos e diz que quando se pergunta às pessoas por que razão é que os seus cães são importantes, elas falam sobre a companhia que lhes fazem. “É o sentimento de pertença a um grupo que inclui o cão da família. Mantém as pessoas ocupadas”, sublinha.

“Se temos um cão, há que passeá-lo, exercitá-lo. Isso dá um sentido de propósito e é simplesmente divertido. Não conheço ninguém que fique tão feliz como os meus cães por me verem todos os dias”, assinala François Martin, que tem dois dogue alemão.

A sua equipa de investigação constatou que os proprietários de cães tiveram pontuações de depressão significativamente mais baixas do que os potenciais proprietários de cães” durante a pandemia. Além disso, os tutores de cães também mostraram um maior grau de compromisso para com os animais e uma atitude substancialmente mais positiva face às suas mascotes. “Passear um cão durante o confinamento aliviou os fatores de stress”, refere a equipa de François Martin.

“Os nossos resultados mostram que ter um cão deu aos seus tutores um sentimento de suporte moral e social mais forte, o que contribuiu para atenuar alguns dos impactos psicológicos causados pela pandemia”, diz o estudo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->