Saúde

Gata queimada no forno está a ser tratada com pele de peixe de Tilápia

Ariel foi, alegadamente, deixada no forno por uma criança de três anos. Os pais demoraram uma semana a contactar o veterinário.
O novo tratamento já está a surtir efeito.

O caso é chocante — e não é caso para menos. Quando Ariel voltou à SOS Bigodes, a associação de resgate animal que a tinha resgatado em setembro e dado para adoção a uma família pouco tempo depois, tinha 50% do corpo queimado.

Segundo a versão contada pela família adotante, a filha de três anos do casal em causa deixara a gata de quatro meses no forno sem saber o que estava a fazer. Mas o caso tornou-se ainda mais grave quando, perante este infeliz acidente, os tutores de Ariel levaram uma semana a contactar um médico veterinário — e quando o fizeram, tinham por objetivo abater o animal.

Sediada em Barcelos, a SOS Bigodes foi contactada pela clínica local que recebeu Ariel num estado crítico, uma vez que os tutores da felina alegavam não ter meios financeiros para cobrir os tratamentos necessários. “Acabei por ligar para a tutora, para saber mais informações, e só depois de insistir muito é que ela me contou. Pensava que o acidente tinha acontecido há uma ou duas horas, pois a veterinária da clínica tinha-se esquecido de me contar esse detalhe, e não quis acreditar quando ouvi que tinha sido há uma semana”, contava à PiT a presidente da associação quando o caso veio a público.

Da resistência ao novo tratamento

As hipóteses de sobrevivência eram remotas, mas Ariel tem-se mostrado resistente. Apresenta uma resiliência invulgar; uma sobrevivente desde que foi abandonada à nascença até, em tão pouco tempo de vida, ter passado por um novo inferno.

Os tratamentos arrancaram 24 horas depois da entrada da gata nos cuidados intensivos, e a terapia aplicada a partir daí revela-se inusitada a quem está menos familiarizado com os meandros da medicina veterinária: a pele de Ariel, que sofreu queimaduras gravíssimas, está a ser tratada com recurso a pele de peixe de Tilápia — um método natural cada vez mais usado nos tratamentos de queimaduras de pele.

Há esperança neste novo método, ainda para mais perante a resistência, lenta mas animadora, desta guerreira de quatro patas. “Este tratamento ajuda em casos queimaduras muito graves e foi o indicado pela veterinária. O tratamento foi oferecido pela médica veterinária Mônica Kienzle, à qual estamos extremamente agradecidos pela sua generosidade! Continuamos a acreditar que a nossa Ariel vai vencer, ela prova- nos todos os dias que não vai desistir e nós muito menos!”, pode ler-se na publicação de atualização feita pela SOS Bigodes.

Carregue na galeria e veja imagens do processo de tratamento de Ariel. (Atenção: algumas das imagens são bastante gráficas e podem ser perturbadoras.)

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->