Saúde

Leucemia felina não é uma sentença de morte. Gatos da União Zoófila esperam por si

Há 10 miaus FeLV+ nesta associação lisboeta que também merecem a oportunidade de serem felizes num lar. Abra-lhes o coração.
Quadros reais.

O vírus da imunodeficiência felina (FIV) e o vírus da leucemia felina (FeLV) são doenças virais dos gatos e podem reduzir grandemente a sua esperança de vida, especialmente se o felino for positivo a ambas. Mas não há motivo para fazer disso um bicho de sete cabeças, já que estes miaus até podem conseguir viver muitos anos — como nos conta a União Zoófila.

O FIV, também conhecido como SIDA dos gatos, é transmitido sobretudo em lutas, e os gatos podem ter uma vida normal caso sejam esterilizados e se deem todos bem. Já no caso do FeLV não é bem assim: o seu índice de transmissão é bastante superior, visto ser sobretudo através da saliva. Por isso, se tiver um gato FeLV+ e estiver a pensar adotar outro, o ideal é que seja também positivo à leucemia felina para não haver contágio a um bichano saudável.

Muitas associações veem os seus gatos FeLV+ ficarem para trás, sem nunca serem adotados, devido ao receio da doença. Mas se já tiver um felino com FeLV, por que não dar oportunidade a outro? Os gatos, por norma, gostam de companhia — e assim estará a dar um lar a outro que precisa e que não será certamente adotado por quem tem miaus sem a doença. É precisamente esse o apelo que faz a União Zoófila (UZ), que tem 10 gatos nestas circunstâncias.

Miaus maravilhosos que precisam de família

“Temos um problema na União Zoófila… temos um gatil cheio de gatos meigos e maravilhosos que ninguém quer. E porquê? Porque são FeLV positivo. E o FeLV, como muitos vírus felinos, é mal compreendido e condena muitos gatos ao abandono e a uma vida inteira em associações. Há uma real justificação para tal? Não. A internet está cheia de desinformação sobre o FeLV? Sim!”, escreve a UZ numa publicação no Facebook.

A associação explica que nem sempre o vírus se manifesta: “Muitos gatos recebem um diagnóstico de FeLV positivo quando realizam os testes standard, mas depois vivem toda uma vida sem ter qualquer sintoma. São gatos perfeitamente normais que podem viver vidas tão longas como os outros”.

“Se pesquisarmos online, encontraremos informações como a de que, por exemplo, um gato FeLV só viverá 2 ou 3 anos. Então como se explica que nós, em ambiente de gatil (muito mais suscetível a vírus do que uma casa), tenhamos gatos FeLV com 5, 6 e até 14 anos de idade, como o nosso sénior laranjão Hulk?”, questiona a União Zoófila.

União Zoófila pede uma oportunidade para estes gatos

O FeLV, sublinha a UZ, “pode tornar o sistema imunitário dos nossos gatos mais sensível e frágil, e, por isso, o ideal para um gato FeLV (como para todos os gatos) é protegê-lo, dar-lhe uma boa alimentação, nutri-lo e dar-lhe uma vida sem stress”. E reforça: “Num mundo em que se tornou muito vulgar, para muitos de nós, termos doenças autoimunes, estes cuidados não lhe soam a nada? São exatamente os cuidados que devemos ter connosco mesmos e nem por isso temos uma vida mais limitada ou somos menos merecedores de amor. Estes gatos também não o são”.

A grande diferença, aponta a União Zoófila, é que “o FeLV é facilmente contagioso para outros gatos (não, não é contagioso para humanos) e, por isso, claro, não queremos que um gato FeLV positivo transmita o FeLV a outro”. “Mas se já tem um gatinho FeLV ou gostaria de ter um gatinho único, porque não dar uma oportunidade a estes poços de amor que nada fizeram para serem descartados?”

“Venha conhecer a Juliana, a Raven, a Macedónia, a Minestrone, o Bambu Cat, a Beldroegas, a Goulash, a Chicago, a Tinola e o Hulk”, convida a UZ no mesmo post, onde podemos ver as fotografias de todos estes miaus.

Situada em Lisboa, a União Zoófila é uma organização sem fins lucrativos que foi criada em novembro de 1951, estando assim a caminho de celebrar 73 anos. Acolhe, desde sempre, muitos animais, não perdendo a esperança de que consigam boas famílias. Se quiser dar uma oportunidade a estes 10 gatinhos FeLV, pode enviar a sua candidatura por email (uniaozoofila.adopcoes@nullgmail.com) ou pode marcar uma visita para os conhecer. Percorra a galeria e delicie-se com estes amores, que só querem um lar onde possam ronronar para si.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT