Saúde

Mustang está a melhorar a olhos vistos, mas ainda precisa da nossa ajuda

Já não parece o mesmo cão. Resgatado das ruas de Gaia no limite das suas forças, está agora em reabilitação para depois ser adotado
Levaram-no à praia e adorou.

Era um cão no limite. Com um abcesso enorme, que estava a começar a desenvolver uma infeção, a pele repleta de feridas, escoriações e muito magro, foi resgatado no início deste ano, das ruas de Vila Nova de Gaia, e imediatamente internado.

“Ele está com o espírito quebrado”, explicaram as responsáveis do projeto de ajuda animal Patinhas Errantes – que cuida de matilhas e animais de rua. “Em toda a sua vida, só conheceu a submissão e as agruras da sobrevivência. É um cão extremamente dócil, manso, humilde, que não conhece a linguagem do amor nem sabe o que é um carinho. Não reage emocionalmente, não abana a caudinha, não levanta as orelhas, não mostra expressões de alegria”, lamentavam as protetoras que o retiraram da rua e que o batizaram de Mustang.

Agora, menos de um mês depois, Mustang não parece o mesmo. “O nosso menino está bastante melhor”, diz a Patinhas Errantes à PiT. “Está a ficar bom e em breve poderemos começar a estudar uma adoção para ele”.

Mustang continua no Centro Veterinário de Santo Ovídio, em Gaia, visto que as suas protetoras não têm instalações onde o acolher. Mas já terminou a medicação antibiótica para o abcesso e está agora em fase de reabilitação geral.

Este patudo humilde, invisível para tantos durante muito tempo, até já teve uma surpresa que lhe encheu o coração – e que serviu para lhe mostrar que, além das suas protetoras, também há outros humanos bons. A 14 e 15 de janeiro foi passar o fim de semana com uma família solidária que se comoveu com a sua história e que o tem visitado, acarinhado e levado a passear, contam as responsáveis do projeto.

“Portou-se bastante bem, vai adaptar-se à vida de apartamento ou moradia. É bastante sossegado e descobrimos que também gosta de miaus”, sublinham, acrescentando que Mustang também foi à praia e adorou a experiência. Têm sido muitas as novidades boas na vida deste cão tão sofrido.

Mustang a começar a ser feliz

E todos estes cuidados e amor têm feito também uma grande diferença em termos psicológicos e Mustang já se mostra menos triste. “Abana a caudinha e já brinca”, diz a Patinhas Errantes com visível felicidade.

E dentro de pouco tempo, Mustang estará apto a ser adotado. “Só queremos que ele se robusteça, pois ainda está bastante magro, e recupere totalmente das escoriações e estado do pelo. É muito jovem – um a dois anos – e auguramos-lhe um bom futuro, depois de tudo quanto de mau passou”, referem as suas protetoras.

Assim que estiver a 100 por cento, será vacinado e esterilizado, “e aí reunirá condições para ser adotado pela melhor família que encontrarmos”, sublinha a Patinhas Errantes. Até lá, as contas continuam a crescer e toda a ajuda é bem vinda. “Se nos quiserem ajudar nas vacinas e na esterilização, agradecemos de coração. Como é um cão grande, vai ser um montante elevado”, explicam à PiT as responsáveis por Mustang.

“Gostávamos que as pessoas não se esquecessem dele”, apelam. E é impossível esquecermo-nos deste focinho meigo, não é? Quem gostaria de lhe oferecer um lar de amor?

Percorra a galeria para ver o antes e o depois de Mustang. E se puder ajudar no pagamento da sua conta veterinária ou oferecendo alimentação (está a comer a ração premium Compy Supreme de arroz e salmão), pode pedir os dados à Patinhas Errantes ou consultar a sua página do Facebook.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->