Saúde

O que fazer quando os nossos cães têm soluços?

Comerem demasiado depressa, fazerem esforço excessivo ou ficarem demasiado excitados é suficiente para terem estes espasmos.
Soluços costumam passar depressa. Foto: Freepik

Todos sabemos o que é. Subitamente, sem estarmos à espera, damos por nós com soluços e, muitas vezes, persistentes. Há até “truques” que rapidamente nos ensinam, como suster a respiração, gargarejar com água ou comer um pedaço de pão – e diz a “sabedoria popular” que também podem passar se alguém nos pregar um susto. Dicas à parte, os soluços costumam ser inofensivos – a menos que perdurem e, nessas situações, será melhor consultar um médico para verificar se há causas subjacentes além das habituais, como comer demasiado depressa ou ingerir comida picante. Com os nossos amigos de quatro patas acontece precisamente o mesmo. E, nesses casos, o que podemos fazer para os aliviar?

Nos cães, a maioria dos soluços – que são espasmos involuntários do diafragma – resulta de comerem ou beberem depressa, de comerem demasiado, de grande excitação, esforço excessivo ou mudanças repentinas na temperatura – e também podem surgir se inalarem substâncias que lhes provoquem irritação nas vias respiratórias, explica Lauren Lee, especialista norte-americana em saúde de animais de companhia.

“Em casos rasos, os soluços crónicos podem indicar um problema de saúde mais sério, como problemas cardíacos, pneumonia, ataque cardíaco ou problemas respiratórios”, acrescenta a mesma especialista, num artigo publicado na plataforma GoodRx Health.

Dê água e faça festinhas na barriga

Embora os soluços nos cães, tal como acontece connosco, não sejam habitualmente motivo de preocupação, é aconselhável ir com eles ao médico veterinário se observar alguma (ou mais) das seguintes situações: os soluços não desaparecem sozinhos; duram mais que algumas horas; o patudo está a babar-se; os soluços impedem-no de comer ou beber; a respiração está irregular; ouve-se um chiar quando respira.

Mas se for uma situação normal, como geralmente, o que é que podemos fazer? Se bem que os soluços acabem por desaparecer, nós podemos dar uma ajuda, diz Lauren Lee. Dar-lhe água é uma boa deia, pois pode acalmar, mas certifique-se de que a bebe devagar. Também pode ajudá-lo a relaxar, com festinhas suaves na barriga, já que isso ajuda a acalmar a sua respiração.

Se o seu cão costuma “devorar” a comida num instante, fica mais atreito a episódios de soluços. E também aqui podemos dar uma ajuda. Para os incentivarmos a comerem mais devagar podemos comprar os chamados comedouros lentos, muitos deles sob a forma de “tapetes” de silicone com ventosas, que funcionam quase como puzzles ou labirintos e que os obrigam a comer de forma mais lenta.

Importa não esquecer que os soluços podem surgir em qualquer tipo de cão, seja qual for o sexo, porte ou raça. Seja o enérgico Golden, o curioso Beagle ou o mimalho Beagle, qualquer um deles pode passar por isso. E se for transitório não há motivo para se preocupar. Percorra a galeria e saiba mais sobre as características de algumas raças caninas.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT