Saúde

“Tem um buraco que não cicatriza” — era o ânus. O que os veterinários têm de ouvir

E o leitor? Já teve alguma situação divertida ou embaraçosa numa consulta no veterinário?

Ser médico veterinário não é fácil. É uma das profissões com maior taxa de suicídios do mundo, devido – entre muitos outros fatores – a situações de burnout e à tristeza que se vai acumulando pelos animais que não é possível salvar. Mas quem a abraça também sabe que pode contar com muitos momentos de ternura, acompanhando o crescimento, durante anos, de muitos “clientes” com patas, penas, muito pelo e escamas. O ambiente de trabalho é também muito importante para que os seus elementos se apoiem e protejam. E é isso que acontece na InemVet, uma clínica veterinária de Olhão, no Algarve.

Quem acompanha a página de Instragam da InemVet, que tem perto de 20 mil seguidores, já sabe que pode contar com umas boas gargalhadas. Apesar de nem tudo ser um mar de rosas, esta equipa tenta sempre mostrar o lado divertido da profissão e costuma publicar fotos e vídeos muito divertidos sobre momentos passados em consultas e sobre como é trabalhar em medicina veterinária, com muitas dicas úteis – sobre como colocar um colar isabelino, por exemplo – pelo meio.

Como eles dizem, estão sempre a planear vídeos e fotos com humor. Por estes dias, lembraram-se de perguntar aos colegas veterinários que os seguem quais os motivos de consulta mais originais que já tinham tido. E há respostas hilariantes.

“Hoje trazemos um desafio para a comunidade veterinária. Queremos conhecer os motivos de consulta mais originais e divertidos que já viram! Quem nunca chegou à agenda da clínica e ficou sem perceber o motivo da vinda do paciente? A nós também já nos aconteceu! Queremos conhecer os vossos”, escreveu a equipa da InemVet numa publicação – com o desafio a ter de imediato muita adesão, sobretudo de colegas portugueses e brasileiros.

É difícil ler muitas das respostas sem soltar umas valentes gargalhadas ou arregalar os olhos com perplexidade. Preparado? Eis algumas delas: “Golden comeu preservativo. P.S.: O casal nao usava preservativo. A esposa descobriu amante, divórcio, babado e confusão”; “Trouxe-o porque ele deu um latido estranho”; “O meu Golden comeu o meu iPhone, mais o cartão do banco”; “Gato obstruído porque a tutora arranjou namorado e colocou o gato para fora do quarto”; “Está sem comer e tomar água só há uns 7/8 dias, eu acho. Não é assim tão urgente”.

Mas há muito mais. “’Tem um buraco que nunca mais cicatriza’ – (era o ânus)”; Esqueci-me do cão, Dr… Tenho de voltar a casa para o ir buscar. Mas ele não come desde ontem!”; “Oh doutora, encontrei umas coisas na barriga do meu gato que acho que são parasitas! “São os mamilos do seu gato”. “Mas meu gato é macho”. “E quê? O seu marido não tem mamilos também?”; “Comi a ração dela e não gostei do gosto, achei muito salgada”.

Também houve uma tutora que não resistiu a contar uma “aventura veterinária” embaraçosa. “O meu cão, Peter, comeu pipocas. Começou a fazer cocó com uns parasitas desconhecidos. Fui a correr com um saquinho dos parasitas desconhecidos. A veterinária perguntou: O Peter anda a comer milho?”, escreveu.

Se quiser ler mais casos divertidos e originais, é só acompanhar a publicação – e também pode dar o seu contributo, claro. Percorra a galeria para ver a comunidade veterinária em ação.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT